[Thecnica Sistemas de Treinamento] Bacias sanitárias e o consumo de água 
Login: 
Senha:   
Fazer cadastro conosco
O Site | Quem somos | Contato | Cadastre-se | Apoiadores
Equipe | Perguntas freqüentes

Home   Cursos e Eventos   Todos os artigos  
Resenhas   Anuncie   Quer colaborar?  
Google

Você está aqui: Home » Artigos sobre
Artigo (veja mais 8 artigos nesta área)

Bacias sanitárias e o consumo de água

Por Arq. Me. Iberê Moreira Campos equipe


A bacia sanitária foi criada na Inglaterra no fim do século XIX. Inicialmente chamada de “water closet”, juntamente com as instalações prediais de água e de esgoto constituiram um notável avanço tecnológico que possibilitou ao homem deslocar-se do campo para concentrar-se nos centros urbanos. Como assim? Bem, os mais velhos devem se lembrar das “casinhas” que ficavam no fundo dos quintais e que abrigavam uma fossa séptica e onde as pessoas iam para fazer suas necessidades fisiológicas.

Pelo design atual, a bacia sanitária é um recipiente de formato anatômico que contém um poço de água destinado a receber os resíduos. Estes são removidos por um dispositivo interno mediante um fluxo de água. A energia hidrodinâmica utilizada no processo é provida por um dispositivo de descarga que supre a bacia sanitária com água em volume e velocidade adequados não apenas para a remoção dos resíduos depositados na bacia mas também para conduzí-los pela tubulação de esgoto horizontal e vertical até chegar à rede pública ou a uma fossa séptica que fará o tratamento dos resíduos antes de devolvê-los à natureza.

Tipos de Bacia Sanitária



Em termos remoção dos resíduos existem dois tipos básicos de bacia sanitária -- as que fazem a limpeza por sifonagem e os que funcionam pelo princípio do arraste.

Limpeza por sifonagem – As bacias sanitárias convencionais que funcionam pelo princípio da sifonagem descarregam o esgoto para baixo. Enfatizando, as bacias que funcionam por este princípio só podem descarregar o fluxo para baixo.

Limpeza por arraste – São bacias de saída horizontal, fazendo a limpeza através do arrastro de um fluxo de água forte e contínuo. É o tipo de bacia utilizada em banheiros racionais, nos quais a tubulação de esgoto é instalada no interior de paredes do tipo “dry wall" acima do nível do piso.

A limpeza por arraste permite direcionar o fluxo da descarga tanto no sentido horizontal como de cima para baixo. Com isto, bacias de saída horizontal podem ser apoiadas no chão ou suspensas, quando são fixadas na parede do banheiro.

Sistemas de descarga e o consumo de água



A água é um recurso natural limitado. A população aumenta dia a dia e as fontes de água doce de boa qualidade vêm diminuindo a um ritmo preocupante. Assim, toda medida que diminua o consumo de água é bem-vinda, e os sistemas de descarga sanitária são responsáveis por boa parte do consumo de edifícios residenciais. Só para ter uma idéia, as antigas bacias sanitárias necessitavam de grandes volumes de água de descarga, podendo chegar a 15 litros ou mais a cada acionamento da válvula de descarga.

Justamente em muitos países desenvolvidos a preferência sempre foi pelos sistemas de descarga por caixa acoplada, que gasta um volume pequeno e fixo de água. No Brasil, entretanto, o sistema mais usado até hoje é o de válvula de descarga.

Mas as coisas estão mudando por aqui também. A exemplo do que acontece no primeiro mundo, em 1997, com a finalidade de reduzir o consumo d'água nas instalações sanitárias, o Ministério do Interior através do Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade no Habitat (PBQP-H) estabeleceu em norma os novos limites máximos de utilização de água para a limpeza de bacias sanitárias.

Segundo essa determinação governamental, até o ano de 1999 as bacias sanitárias utilizadas no Brasil poderiam consumir até 12 litros de água de descarga por ciclo. A partir do ano de 2000 o limite máximo de utilização d'água por bacias sanitárias e a partir de 2002 o teto é de 6 litros, nível este que já é adotado pelos países da Comunidade Européia e da América do Norte.

Para que se possa estabelecer e controlar o volume do consumo de água das bacias sanitárias é necessário que a descarga seja provida de uma caixa de descarga, que por sua própria natureza só pode liberar volumes de água de acordo com o volume do seu reservatório. Isto porque é impossível, na prática, controlar o volume de descarga liberado por válvulas fluxíveis.

Entretanto, o esforço dos fabricantes de metais e louças sanitárias logrou desenvolver modelos que, quando combinados e instalados adequadamente, permitem que a norma de 6 litros por descarga seja cumprida até mesmo usando bacias sanitárias com limpeza por válvula de descarga.

Publicado em 15/12/2006 às 16:16 hs, atualizado em 28/06/2016 às 17:36 hs


Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato
Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato

NOSSOS LEITORES JÁ FIZERAM 1 COMENTÁRIO sobre este artigo:
De: IT_Hoje (em 31/01/2013 às 14:54 hs)
Posso dizer da minha experiência
Eu já sabia que as bacias com caixa acoplada gastam menos água, mas não entendia bem o porque. Agora já sei! O que posso dizer é que quando reformei a minha casa tirei as válvulas de descarga e troquei por caixa sifonada, e o consumo de água caiu pela metade.

Comente você também:

Login:
Senha:
  • Se você já se cadastrou no site, basta fornecer seu nome e senha.
  • Caso ainda não tenha se cadastrado basta clicar aqui.


TEMOS MAIS 8 ARTIGOS SOBRE :
Como posso dimensionar a caixa d'água da minha residência?
Tendência do uso de aquecimento de água no Brasil
Esquema de funcionamento e dimensionamento da instalação de água fria em residências
Água quente nos banheiros: qual é a melhor opção de aquecedor, elétrico, gás ou solar? Central ou localizado?
Tubos em PPR, boa alternativa ao cobre nas tubulações de água quente
Conexão à rede pública de esgoto e o controle de roedores
Dúvidas Mais Freqüentes no uso de Tubos de PVC
Calcário na água – um problema de saúde pública?

 

SEJA VOCÊ TAMBÉM UM COLABORADOR!

Colabore com nosso site, contribua para o desenvolvimento da arquitetura, engenharia e construção e, de quebra, aumente seu currículo e promova sua empresa!
É simples:
  • Se você é uma pessoa física e deseja colaborar com notícias, artigos e sugestões, veja a seção Quero colaborar
  • Caso tenha uma empresa do setor e quer divulgá-la junto aos nossos visitantes, veja a seção Anuncie
  • Caso sua empresa faça Assessoria de Imprensa para um ou mais clientes, você pode mandar os releases para nossos repórteres e teremos a maior satisfação divulgar as notícias neste espaço.
  • Se você é um órgão de imprensa, contate-nos em imprensa@luzes.org e conheça as várias maneiras para interagir com nosso site e nossos visitantes.

Tel (11) 3483-9868
Fax (11) 2368-4666
Email: contato@luzes.org
  • Por favor entre em contato para qualquer dúvida, imprecisão do conteúdo ou informação indevidamente divulgada.
  • Os artigos e demais informações assinadas são de integral responsabilidade de seus autores.
  • O conteúdo deste site está protegido pelo Acordo Internacional da Creative Commons.
  • Os produtos e serviços de terceiros aqui divulgados são de inteira responsabilidade de seus anunciantes.
  • Nosso nome, logomarca e demais sinalizações estão protegidas na forma da lei.